Quinta-feira, 09.05.13

10/10 (dez-em-dez) - "Horses", Patti Smith, 1975

 

 

 

01. Gloria [In Excelsis Deo/Gloria]

02. Redondo Beach

03. Birdland

04. Free Money

05. Kimberly

06. Break It Up

07. Land:

    Horses

    Land Of A Thousand Dances
    La Mer(de)

08. Elegie

publicado por Olavo Lüpia às 16:28 | link do post | comentar
Quinta-feira, 10.12.09

O Fascínio pelo Assassino #10 - Hey Joe

Hey Joe é um tema celebrizado pela interpretação de 1966 da Jimi Hendrix Experience, contando a história de um crime passional - porque é que nunca se deu este caso prático nas faculdades de Direito portuguesas para se estudar a problemática 'homicídio qualificado vs homicídio privilegiado' é mais uma das coisas que nunca vou conseguir entender.

Estruturalmente, diga-se que a música é um bom suporte para a letra, tendo a sua progressão de acordes ascendente o dom de propulsionar o efeito dramático crescente da história, que começa pela intenção de matar, ao que se lhe segue o crime e a posterior fuga para o México para evitar o castigo.
 
A verdadeira autoria de Hey Joe é um tema bastante complexo, sendo que a 'doutrina' divide-se entre se tratar de uma música do folclore dos Estados Unidos ou uma música composta por Billy Roberts (em 1962, a partir de uma melodia tradicional), que registou os direitos de composição em seu nome.

A música foi passando 'de guitarra em boca' e vice-versa, tornando-se uma música recorrente no repertório do rock de garagem da Califórnia. A mais conhecida é a versão dos The Leaves. Perdão, três versões dos The Leaves, a primeira em 1965 (com o título Hey Joe Where You Gonna Go?) e as restantes em 1966 (já apodada de Hey Joe). Em baixo fica uma delas.

Hey Joe - The Leaves

Hendrix ouviu-a e, da mesma forma como faria com All Along The Watchtower de Dylan, tornou-a sua e definitiva, gravando-a em single em 1966 e fazendo-a constar do disco de estreia da sua Experience, "Are You Experienced?", do mesmo ano.

Hey Joe - The Jimi Hendrix Experience

Após a gravação de Hendrix, muita gente fez-lhe o mesmo, de Cher aos Body Count, passando pelos Byrds, Tim Rose, os Deep Purple 'and so on, back and forth'.

Frank Zappa optou por um caminho diferente e, em Punk Flower, do seu disco de 1968 "We're Only In It For The Money", toma-lhe o mote e o formato pergunta-resposta para brincar com o movimento floral dos 60's: «Hey, Punk, where are you goin' with that flower in your hand?/I'm goin' down to Frisco to join a psychadelic band...»

Flower Punk - Frank Zappa & The Mothers Of Invention

De todas as versões da canção, registe-se a versão de Patti Smith. Em 1974, Hey Joe foi o seu primeiro e óptimo single.

Hey Joe - Patti Smith
publicado por Olavo Lüpia às 01:55 | link do post | comentar | feedbacks (1)
Segunda-feira, 16.04.07

Sob o efeito de hipnóticos

Para ser correcto, neste caso estamos mesmo a falar de alucinogénios.
LSD, pronto.

O ano é 1967, o sítio é S. Francisco, onde estão os Grateful Dead, de Jerry Garcia, e Janis Joplin, que costumam encontrar-se para tocar juntos.
O Verão vai ser de amor, com flores na cabeça e corpos mais ou menos nus nos jardins da cidade da Golden Gate Bridge (para mais sobre o ano de 1967 neste blog, lembrem-se que as etiquetas abaixo podem ser preciosas).
Inspirados pelo conto de Lewis Carroll, "Alice no País das Maravilhas", os Jefferson Airplane de Grace Slick entram na acção do livro para nos trazer este White Rabbit (com críticas implícitas ao conformismo da sociedade e aos "decisores" da época):

«One pill makes you larger
And one pill makes you small
And the ones that mother gives you
Don't do anything at all
Go ask Alice
When she's ten feet tall

And if you go chasing rabbits
And you know you're going to fall
Tell 'em a hookah smoking caterpillar
Has given you the call
Recall Alice
When she was just small

When men on the chessboard
Get up and tell you where to go
And you've just had some kind of mushroom
And your mind is moving low
Go ask Alice
I think she'll know

When logic and proportion
Have fallen softly dead
And the White Knight is talking backwards
And the Red Queen's "off with her head!"
Remember what the dormouse said:
"Feed your head
Feed your head
Feed your head


Quem conhece o livro reparará que algumas citações não batem certo com as personagens a quem são creditadas, mas quer-me parecer que, naquela altura, rigor era coisa que estes rockers achavam sobrevalorizada...
Aqui fica agora a música que acaba por nos fazer companhia quer no cinema ("Platoon", de Oliver Stone, e "O Jogo", de David Fincher, entre outros) quer na TV ("The Simpsons", "Futurama" ou "Os Sopranos").

White Rabbit - Jefferson Airplane
"Surrealistic Pillow" (1967)

No disco que saiu hoje na Europa (um disco de versões ao qual voltaremos posteriormente), de nome "Twelve", a instituição rock Patti Smith revisita o mesmo tema (40 anos depois).

White Rabbit - Patti Smith
"Twelve" (2007)

Curiosa (mas muito bem apanhada pelo pessoal da Wikipedia) é a ligação desta White Rabbit com a Can You Feel It, dos Jackson 5, e a Material Girl, da Madonna. Não acreditam? Então prestem atenção ao baixo nos seguintes recortes:

White Rabbit vs Can You Feel It vs Material Girl
publicado por Olavo Lüpia às 12:42 | link do post | comentar

pesquisar neste blog

 

subscrever feeds

Rock Stock

Bichos Protegidos da Serra da Malcata

posts recentes

tags