Segunda-feira, 23.08.10

Blue Mondays...

 

One Day When The Weather Is Warm - Joe Henry

"Kindness Of The World" (1993)

publicado por Olavo Lüpia às 18:12 | link do post | comentar
Segunda-feira, 03.08.09

Blue Mondays.../Novidades/Palavras para quê? (XXVII)




Prelude: Light No Lamp When The Sun Comes Down

Over Her Shoulder

Coda: Light No Lamp When The Sun Comes Down

Joe Henry, "Blood From Stars" (2009)

publicado por Olavo Lüpia às 03:12 | link do post | comentar
Terça-feira, 28.07.09

Novidades - Joe Henry


Com boas canções, um punhado de excelentes músicos (entre outros, Marc Ribot) e a qualidade do costume, o novo de Joe Henry tem data de lançamento prevista para 18 de Agosto.

Death To The Storm - Joe Henry
"Blood From Stars"
publicado por Olavo Lüpia às 02:29 | link do post | comentar
Quinta-feira, 18.06.09

Novidades/Palavras para quê? (XXVI) - Allen Toussaint



O novo disco de Allen Toussaint, sucessor de "The River in Reverse" (2006), em parceria com Elvis Costello, é um disco quase exclusivamente instrumental, com a inclusão de temas de Sidney Bechet, Django Reinhardt, Thelonious Monk ou Duke Ellington.
Para a obra, Toussaint e Joe Henry, produtor, juntaram um grupo de instrumentistas de formação jazz, mas que não tocassem apenas esse estilo de música: na guitarra, Marc Ribot; Don Byron no clarinete; no trompete, Nicholas Payton; e na secção rítmica, David Piltch, no baixo, e Jay Bellerose na bateria. Como convidados, regista-se ainda as presenças pontuais de Brad Mehldau e Joshua Redman.
É um disco jazz bem divertido, a evocar as paisagens sulistas dos Estados Unidos (desde logo, New Orleans, origem de Toussaint), com uma boa escolha de repertório e da banda, e um excelente gosto no seu tratamento, ao qual o 'dedo' de Joe Henry não será alheio.
Allen Toussaint, "The Bright Mississippi" (2009)
publicado por Olavo Lüpia às 10:20 | link do post | comentar
Segunda-feira, 17.12.07

Blue Mondays...


Um belíssimo disco de Joe Henry, com uma banda de luxo, onde pontificam, entre outros, Marc Ribot na guitarra, Brad Mehldau no piano e Ornette Coleman no sax alto. Tudo começa com a soturna Richard Pryor Addresses a Tearful Nation...

Richard Pryor Addresses a Tearful Nation - Joe Henry
"Scar" (2001)
publicado por Olavo Lüpia às 00:00 | link do post | comentar | feedbacks (1)
Quarta-feira, 21.11.07

Novidades - Joe Henry


Para quem gosta da tradição dos cantautores norte-americanos, têm em "Civilians" um disco imperdível. Narrativas em estilo clássico, num disco com sonoridades predominantemente folk, na onda de Dylan ou Springsteen, com um leve ambiente jazz, cortesia da guitarra de Bill Frisell (Naked City), que preenche alguma das canções, como a inicial Civilians e a lindíssima Shut Me Up, com frases de guitarra de um modo parecido ao que Marc Ribot faz com algumas das baladas folk-jazz de Tom Waits, belíssimos arranjos de cordas (Our Song, por exemplo) de Patrick Warren, responsável pelos teclados, e a companhia vocal de Loudon Wainwright, III (pai de Rufus e Martha), que co-escreve com Henry Time Is a Lion.
Canções, portanto. Dolentes, quase todas. É esse o sentimento que fica no final da audição, para além da vontade de o pôr a rodar outra vez. Civilians, Our Song, Wave, I Will Write My Book e Shut Me Up, entre outras, são passagem obrigatória na música de 2007.
O site de Joe Henry fornece bastante informação útil e ficheiros integrais de 4 músicas (as reproduzidas em baixo) e parciais - 2 minutos - das 8 restantes.

Civilians
Time Is A Lion
You Can't Fail Me Now
Our Song

publicado por Olavo Lüpia às 00:36 | link do post | comentar

pesquisar neste blog

 

subscrever feeds

Rock Stock

Bichos Protegidos da Serra da Malcata

posts recentes

tags