2 feedbacks:

Joe a 23 de Abril de 2008 às 12:10
Até 3/4 foi um grande concerto, com o homem em excelente forma para cinquentão. só foi pena aquela parte final, a dar a ideia que estava a despachar e com alguns temas verdadeiramente desastrosos. o straight to you foi péssimo (e roubado numas 2 estrofes), no stagger lee estava completamente fora do tom, não se percebeu aquela simulação de into my arms... E para além disso não gosto de me sentir discriminado: feitas as contas, lá em baixo tiveram mais 5 canções que nós. está mal.
pena não nos termos encontrado.
Abraço
Olavo Lüpia a 23 de Abril de 2008 às 14:56
eu gostei bastante do concerto, embora também ficasse com a chamada sensação "as visitas estão a ficar cansadas", lá mais para o final. os dois encores foram um bocado a despachar. acho que em lx tiveram mais sorte que nós.
no entanto, os primeiros 30/40 minutos do concerto foram demolidores. impressionantes, mesmo.
engraçado estares a falar no Stagger Lee, em termos de desafinação. é que o gajo no Papa Won't Leave You, Henry começa por perguntar ao guitarrista se "o acorde era mesmo aquele" e depois consegue cantar a música toda para aí tom e meio acima, só acertando nos finais «uouou!»... mas - vamos lá a ver uma coisa -, o gajo é o rock!...

há só uma coisa que me ficou atravessada na garganta - e vamos ter aqui um momento fã-de-Tokyo-Hotel (http://incontinental.blogspot.com/2008/03/est-aqui-est-aqui-reportagem-da-sic.html): Nick, meu, não se começa o Into My Arms para se abortar 10 segundos depois, dizer «we'll play this fuckin' later» e depois... nada.
em resumo, um pujante, possante, potente, esfuziante, esfoliante, efervescente, transeunte, mafamude, enorme concerto do "Tio" Cavernoso.
"Rock N' Fuckin' Roll", como diria o gajo!

pá, temos que combinar melhor as coisas para o próximo concerto, máiór!...
grande abraço.