Quinta-feira, 11.03.10

With A Little Help From My Friends

Em baixo está uma das muitas colaborações de Mark Linkous. Em Dog Door, Linkous conta com Adrian Utley (Portishead) na guitarra e baixo e Tom Waits, que oferece a letra (conjunta com a sua parceira habitual, de música e de vida, Kathleen Brennan), a voz e percussão. O vídeo foi realizado pelos Quay Brothers do 'Sonic Cinema' do Sundance.

 

Dog Door, Sparklehorse (com Tom Waits e Adrian Utley)

"It's a Wonderful Life" (2001)

publicado por Olavo Lüpia às 12:24 | link do post | comentar
Segunda-feira, 26.10.09

Blue Mondays...



Sour Times
Numb
Biscuit
Portishead, "Dummy" (1994)
publicado por Olavo Lüpia às 10:53 | link do post | comentar | feedbacks (1)
Quinta-feira, 11.12.08

2008 Shortlist #1

É chegado o tempo de começar a rever o ano de 2008, revisão que será feita segundo o critério dos discos que acredito continuar a ouvir daqui a 3 ou 9 anos, esperando que assim se acabe por chegar àqueles que considero serem os mais relevantes e melhores do ano.
Sem nenhuma ordem especial, o primeiro tomo da saga leva-nos a discos que saíram nos primeiros meses do ano e tem a seguinte constituição:

Sweet Talk - Spiritualized
"Songs In A&E" (2008)
Machine Gun - Portishead
"Third" (2008)
Ragged Wood - Fleet Foxes
"Fleet Foxes" (2008)
Gobbledigook - Sigur Rós
"Með suð í eyrum við spilum endalaust" (2008)


Putos a Roubar Maçãs, Dead Combo
"Lusitânia Playboys" (2008)
publicado por Olavo Lüpia às 01:22 | link do post | comentar | feedbacks (2)
Terça-feira, 02.12.08

Novidades em vídeo - Portishead

Na semana passada, o Stereogum estreou o novo vídeo dos Portishead para a hipnótica Magic Doors. Vale bem a pena reproduzi-lo por aqui.


Magic Doors, Portishead
"Third" (2008)

Realização: John Minton
publicado por Olavo Lüpia às 12:39 | link do post | comentar
Terça-feira, 12.08.08

Decomposing Composers #5/Da inspiração - Sampling

Ter ideias para posts na cabeça é bom. Não os apontar é pior. Não tarda, acontece um qualquer evento infeliz e eles tornam-se prementes, se bem que pareçam oportunistas. E são mesmo.


Isaac Hayes [20.08.1942-10.08.2008] deixa-nos uma discografia importante, dos quais se destacam "Hot Buttered Soul" (1969), a banda sonora "Shaft" (1971) e o duplo "Black Moses" (1971).
É precisamente em "Black Moses" que se pode encontrar o medley Ike's Rap II/Help Me Love, cujos primeiros dois minutos (Ike's Rap II) deram origem a um sampling quase simultâneo de dois dos percursores do então denominado trip-hop, Tricky e os Portishead.
Ao que parece, tudo foi mesmo uma enorme coincidência. "Dummy" foi editado em 1994 e o não menos fabuloso "Maxinquaye" no ano seguinte.

Medley: Ike's Rap II/Help Me Love (*)- Isaac Hayes, "Black Moses" (1971)
Glory Box (*)- Portishead, "Dummy" (1994)
Hell Is Round The Corner (*)- Tricky (com Martina Topley-Bird), "Maxinquaye" (1995)

________________________
(*) Ligações retiradas.

publicado por Olavo Lüpia às 07:00 | link do post | comentar
Segunda-feira, 09.06.08

Portishead Vs Radiohead

The Rip - Portishead
"Third" (2008)


The Rip, Radiohead (Thom Yorke & Jonny Greenwood) [at ease web]
publicado por Olavo Lüpia às 12:00 | link do post | comentar | feedbacks (1)
Quinta-feira, 17.04.08

Portishead@Portishead

Para quem viu o concerto dos Portishead e para quem não viu, para quem não conhece "Third" e para os outros, um filme de cerca de 35', com gravações ao vivo dos de Bristol de 7 músicas do novo disco: Silence, Hunter, We Carry On, The Rip, Machine Gun, Magic Doors e Threads, por esta ordem.


publicado por Olavo Lüpia às 18:16 | link do post | comentar
Quinta-feira, 27.03.08

Visitas de Estudo - Portishead no Porto

Ora, aqui está um caso estranho.
As reacções vão sendo díspares, entre a adesão semi-completa e a semi-frustração. Primeiro consenso, trata-se de um "semi".
Era um concerto que tinha tudo para dar certo, entre a nostalgia e a excitação. O primeiro problema tem de se colocar ao nível da organização. Um concerto de uma banda num registo intimista deve ser feito para gente sentada. Quanta gente achava que ia dançar ou fazer "mosh" a ouvir os de Bristol? Daí vem o segundo problema. Parece ser disparatado dizer que os Portishead não são os Xutos, mas a verdade é que o concerto começa e só muda a banda sonora. Gritos histéricos no fim de cada refrão de Glory Box parece parvoíce, palmas a compasso numa versão guitarra-baixo-voz de Wandering Star não parece bem e soam a absoluto desnexo quando batidas para acompanhar frases como «Can't anybody see/We've got a war to fight/Love will find our way/Regardless of what they say/How can it feel this wrong?(...)». E as 3.757 geringonças que foram filmando o início e as músicas mais conhecidas dos de Bristol? Foi o que aconteceu. Uma patetice.
Terceiro problema: primeiro concerto da digressão. A setlist estava equilibrada, mas com possibilidades de melhoramentos e a banda, em especial Beth Gibbons, deu a ideia de estar demasiado compenetrada no material novo. Daí que os clássicos fossem aparecendo a separar os temas de "Third" e talvez isso mesmo explique o facto de Gibbons ter-se enganado em alguns dos "clássicos" - desafinação em Sour Times (e aquele feedback impressionante do retorno de Gibbons...), repetição da letra em Cowboys, entradas fora do tempo em Glory Box (este a meias com Adrian Utley).
Parece então que o concerto foi terrível, não é? Mas não foi.

A coisa começou muito bem com Silence e Hunter, os dois primeiros temas de "Third", ao que se seguiu Mysterons. Perfeito. Depois veio, se a memória não falha, The Rip (que arrefeceu um pouco o ambiente da sala), ao que se lhe seguiu Glory Box e Numb. Depois uma tripla imbatível: Magic Doors, Wandering Star (um dos melhores momentos da noite, numa versão sem batida e com a substituição da melodia final do moog pela voz de Gibbons) e Machine Gun.
Até ao final do set ainda se ouviu Over, Sour Times, Only You, Nylon Smile e Cowboys (talvez não por esta ordem), que terminou com um quase inaudível (pela força dos aplausos) pedido de desculpas de Gibbons.
O encore foi demolidor: Threads pôs o Coliseu em sentido, em especial quando Gibbons a terminou em sonoro desespero, seguido desse pedaço de mitologia urbana que dá pelo nome de Roads e, para acabar, a hipnose de We Carry On, com Gibbons algures no início da plateia.
Terá faltado All Mine, Half Day Closing ou Strangers? É um "talvez" irrelevante, até porque estas músicas perdem muito sem os sopros e/ou as cordas.
Concluindo, foi um bom concerto que podia ter sido um enorme concerto, com culpas divididas entre a organização, o público e a própria banda. Uma óptima máquina a precisar de rodagem...
Talvez já hoje Lisboa veja uns Portishead e público melhores.

[Eu já vos tinha dito que o Geoff Barrow é uma máquina?! Impressionante!]


Strangers, Portishead
"Roseland NYC Live" (1998)

[E, antes que esqueça, obrigado, Joe, pelo bilhetinho mágico. És um compincha, "sócio"!]
publicado por Olavo Lüpia às 14:26 | link do post | comentar | feedbacks (8)
Quarta-feira, 26.03.08

Ementa

Uma bela entrada - que até têm uma música com o nome inglesado da cidade anfitriã:


Pastelka On The Train - A Hawk and a Hacksaw
"Darkness of Moons" (2005)

God Bless The Otoman Empire
Oporto
A Hawk and a Hacksaw, "The Way The Wind Blows" (2006)

Ihabibi - A Hawk and a Hacksaw & The Hun Hangár Ensemble
"A Hawk and a Hacksaw & The Hun Hangár Ensemble EP" (2007)

[Para coisas bem boas dos AHAAH vão a este post do prodigioso estabelecimento da menina limão]

Depois, o prato principal...



Wandering Star - Portishead
"Dummy" (1994)

Half Day Closing - Portishead
"Portishead" (1997)

Hunter - Portishead
"Third" (2008)
publicado por Olavo Lüpia às 00:38 | link do post | comentar | feedbacks (3)
Quarta-feira, 19.03.08

Novidades (Vídeo) - Portishead

Aí está o vídeo para a intensidade brutal de Machine Gun.

Machine Gun, Portishead
"Third" (2008)
publicado por Olavo Lüpia às 15:14 | link do post | comentar
Terça-feira, 11.03.08

Sob o efeito de hipnóticos.../Novidades


11 anos depois do último de originais, 11 depois da sede de se ouvir qualquer coisa nova vinda dos de Bristol. Como primeira impressão diga-se que não há singles mais fáceis em "Third": não há Glory Box, Roads, OnlyYou, All Mine, etc.
A veia jazzy rende-se ao experimentalismo, num disco que até começa em português (do Brasil), na espiral dramática de nome Silence. A ouvir e a dissecar, pelas variadas opções curiosas e pontos de interesse que uma avaliação prematura não consegue absorver.


Magic Doors, Portishead
"Third" (2008)
publicado por Olavo Lüpia às 11:37 | link do post | comentar | feedbacks (1)
Segunda-feira, 21.01.08

Blue Mondays...

Roads - Portishead
"Dummy" (1994)


Humming, Portishead
"Portishead" (1997)

Realização: Ben Waters


Só os mais distraídos é que desconhecerão que os de Bristol começam a tournée europeia aqui pelo burgo no próximo mês de Março, com dois concertos nos Coliseus: dia 26 no Porto e 27 em Lisboa. Quanto ao novo disco, a sua edição está prevista para o mês seguinte.
publicado por Olavo Lüpia às 00:19 | link do post | comentar | feedbacks (2)
Terça-feira, 11.12.07

Novidades - Portishead

Começam a revelar-se os novos passos que os Portishead querem percorrer, 10 anos que estão passados sobre o último disco de estúdio da banda, o homónimo "Portishead".
Vídeos e ficheiros áudio começam a pulular pela net depois da apresentação de algumas canções novas tocadas no concerto integrante do festival All Tomorrow's Parties, no Reino Unido, de 07.12.
Ainda não há sequer a certeza do nomes das músicas, mas, do que se pode ouvir, os de Bristol aparecem bem diferentes. Mais electrónicos, menos melódicos e ainda mais dramáticos.
A primeira música abaixo, que pode ou pode não se chamar Hunter, é uma música um pouco mais ao estilo do disco da vocalista Beth Gibbons com Rustin Man, "Out Of Season" (2002). As outras são bem mais agrestes, bem mais electrónicas. Assegurem-se que estão bem confortáveis quando ouvirem a música do segundo vídeo abaixo. A batida electrónica tocada por Geoff Barrow serve de mote para a vocalização dramática de Beth Gibbons, em crescendo até a catarse final.
No site Deaf Indie Elephants (onde descobri o 2.º vídeo abaixo) podem ainda recolher 3 ficheiros áudio das novas músicas.
(Nota: os vídeos não apresentam grande qualidade...)





A previsão actual para a edição do disco novo dos Portishead aponta para Abril do próximo ano. Espera-se...
publicado por Olavo Lüpia às 14:59 | link do post | comentar
Segunda-feira, 27.11.06

Ó, fáxavor! Queria participar um roubo, fáxavor! (II)

Depois da 1.ª participação, acho ser necessário «pôr a boca no trombone» em relação a outro roubo descarado.
O mundo da publicidade dá sempre muito material, por isso aqui vai mais um:
Eh pá, já viram o novo anúncio ao produto "Mars Delight"?
Já? E a música que acompanha aquela treta não é o despudorado roubo deste monumento?
publicado por Olavo Lüpia às 13:14 | link do post | comentar | feedbacks (1)
Segunda-feira, 23.10.06

Blue Mondays...


Only You, Portishead
"Portishead" (1997)
Vídeo (excelente) realizado por Chris Cunningham
publicado por Olavo Lüpia às 01:10 | link do post | comentar | feedbacks (2)

pesquisar neste blog

 

subscrever feeds

Rock Stock

Bichos Protegidos da Serra da Malcata

posts recentes

tags

Creative Commons License
Andróide Paranóide by Andróide Paranóide is licensed under a Creative Commons License.