Sexta-feira, 08.03.13

10/10 (dez-em-dez) - "Blood On The Tracks", 1975

 

 

 

 

1. Tangled Up in Blue

2. Simple Twist of Fate

3. You're a Big Girl Now

4. Idiot Wind

5. You're Gonna Make Me Lonesome When You Go

 

6. Meet Me in the Morning

7. Lily, Rosemary and the Jack of Hearts

8. If You See Her, Say Hello

9. Shelter from the Storm

10. Buckets of Rain

publicado por Olavo Lüpia às 11:29 | link do post | comentar | feedbacks (1)
Segunda-feira, 11.04.11

Blue Mondays...

 

 

Idiot Wind

You're Gonna Make Me Lonesome When You Go

Bob Dylan, "Blood On The Tracks" (1975)

publicado por Olavo Lüpia às 07:00 | link do post | comentar | feedbacks (2)
Segunda-feira, 25.01.10

Blue Mondays...


It's Alright Ma (I'm Only Bleeding)
It's All Over Now, Baby Blue
Bob Dylan, "Bringing It All Back Home" (1965)
publicado por Olavo Lüpia às 19:06 | link do post | comentar
Sexta-feira, 16.10.09

Porque hoje é Sexta...


Freight Train Blues - Bob Dylan
"Bob Dylan" (1962)
publicado por Olavo Lüpia às 02:59 | link do post | comentar
Terça-feira, 11.08.09

Bowerbirds e as Sessões acústicas do Le Cargo

Para as sessões acústicas do Le Cargo, os Bowerbirds mostraram Olive Heart e uma versão de Moonshiner. O jovem Dylan é sempre especial.


Moonshiner, Bowerbirds
(2009)

Moonshiner, Bob Dylan
"The Bootleg Series Volumes 1-3 (Rare & Unreleased) 1961-1991" (1991)
publicado por Olavo Lüpia às 15:49 | link do post | comentar
Segunda-feira, 01.12.08

Blue Mondays...


You're Gonna Make Me Lonesome When You Go
If You See Her, Say Hello
Bob Dylan
, "Blood On The Tracks" (1975)
publicado por Olavo Lüpia às 07:00 | link do post | comentar
Quinta-feira, 16.10.08

Novidades - Bob Dylan


Dylan esvaziou os bolsos mais uma vez, tirando de lá os "trocos" de quase 20 anos. Faz um duplo, o 8.º tomo das Bootleg Series, e deixa-nos completamente desconcertados com a qualidade e homegeneidade do material, entre o folk, o country e o blues.
Repare-se só nestas três canções que não tiveram lugar no excelente "Time Out Of Mind", de 1997 - se bem que Mississippi acabou por ser regravada e fazer parte do disco seguinte, "Love and Theft" (2001).

Mississippi
Red River Shore
Dreamin' Of You
Bob Dylan, "Tell Tale Signs: The Bootleg Series, No. 8" (2008)


publicado por Olavo Lüpia às 07:00 | link do post | comentar | feedbacks (1)
Quinta-feira, 11.09.08

Novidades - Bob Dylan


Trata-se já do 8.º da "Bootleg Series", que compila raridades e faixas não editadas por Dylan desde os tempos de "Oh Mercy" até aos do último de originais, "Modern Times". A edição está marcada para 07.10 e já foi disponibilizada no site da lenda a canção Dreamin' Of You.

Dreamin' Of You - Bob Dylan
"Tell Tale Signs: The Bootleg Series No. 8"

O vídeo para a música, que conta com a participação de Harry Dean Stanton, pode ser visto nesta página do site da Amazon.com.
publicado por Olavo Lüpia às 07:00 | link do post | comentar
Quarta-feira, 10.09.08

O fascínio pelo assassino # 5 - Pretty Polly/Ballad of Hollis Brown

Pretty Polly é uma música tradicional encontrada no folclore britânico assim como na região Apalache dos Estados Unidos. Parece ter nascido como uma derivação encurtada da canção The Gosport Tragedy.
Em poucas palavras, trata-se da história da jovem e bela Polly, atraída para a floresta por um seu pretendente (Willy, que noutras versões usa outro dos diminutivos de William, Billy), que acaba por matá-la e enterrá-la numa cova que havia cavado na noite anterior.
Sendo uma música do folclore tradicional, desde logo se adivinha como há muitas versões da mesma música. Aqui ficam duas, curiosamente do mesmo ano, por Dock Boggs (na foto acima) e B. F. Shelton. Em ambas, a voz é acompanhada apenas pelo banjo.

Pretty Polly - Dock Boggs (1927)
Pretty Polly - B. F. Shelton (1927)

De entre outra gente que também cantou Pretty Polly, refira-se, desde já, os nomes de Bert Jansch, Judy Collins, Kristin Hersh ou os Byrds.

Pretty Polly - The Byrds
"Sweetheart Of The Rodeo" (1968)

Em 1964, Bob Dylan (o Dylan recolector) agarra na estrutura musical e frásica de Pretty Polly - que, segundo se diz, também tocou - para compor a negríssima Ballad of Hollis Brown, a história de um agricultor de South Dakota que, vivendo na penúria com a sua família, vê a farinha e a água faltar, os 5 filhos famintos e em lágrimas e a sua mulher aos brados, decide gastar os seus últimos tostões em sete projécteis de caçadeira, nem sendo preciso adivinhar o fim do conto.

Ballad of Hollis Brown - Bob Dylan
"The Times They Are A-Changin'" (1964)


[O cantor country TJ McFarland, na sua música Kurt Cobain, refere que o líder dos Nirvana, antes da fama, tocava a música Pretty Polly. Isto talvez se conjugue para quem ache que a música Polly pode ter sido influenciada por aquela. No entanto, não sei... a) quem é este TJ McFarland nem como ele terá conhecido Cobain; b) como é que a música acima mencionada tem a ver com a que relata a história verídica de uma rapariga de 14 anos raptada e violada, pela visão do agressor. De qualquer forma, e para completar, aqui ficam:

Kurt Cobain - TJ McFarland
"Howlin' Wild" (2007)
Polly - Nirvana
"Nevermind" (1991)]
publicado por Olavo Lüpia às 05:00 | link do post | comentar
Sábado, 24.05.08

«...I was so much older then, I'm younger than that now...»

(24.05.1941-...)

Masters of War, "The Freewheelin' Bob Dylan" (1963)
The Times They Are A-Changin', "The Times They Are A-Changin'" (1964)
My Back Pages, "Another Side Of Bob Dylan" (1964)
It's Alright, Ma (I'm Only Bleeding), "Bringing It All Back Home" (1965)
Just Like Tom Thumb's Blues, "Highway 61 Revisited" (1965)
Visions Of Johanna, "Blonde On Blonde" (1966)
I'll Be Your Baby Tonight, "John Wesley Harding" (1967)
Tonight I'll Be Staying Here With You, "Nasville Skyline" (1969)
If You See Her, Say Hello, "Blood On The Tracks" (1975)
Dark Eyes, "Empire Burlesque" (1985)
Can't Wait, "Time Out Of My Mind" (1997)
Moonlight, "Love and Theft" (2001)
Nettie Moore, "Modern Times" (2006)
tags:
publicado por Olavo Lüpia às 16:08 | link do post | comentar | feedbacks (2)
Sexta-feira, 25.04.08

Sempre!


Chimes of Freedom, Bob Dylan
Festival de Newport, 1964

Chimes of Freedom, Bob Dylan
"Another Side of Bob Dylan" (1964)

[letra]
publicado por Olavo Lüpia às 03:16 | link do post | comentar
Terça-feira, 01.04.08

«Penso que Deus, em vez de lhe tocar no ombro, deu-lhe um pontapé no cu»*


Depois da «voz da geração», das frases para a Humanidade, de carregar uma idade equivalente a cinco vezes os vinte e alguns anos que a biologia lhe dizia e do posterior surrealismo e non-sense lírico; depois da Gibson acústica e da posterior Fender Telecaster eléctrica (na imagem) e do célebre "Judas!" que o afastou dos palcos por largo período de tempo, em suma, depois da tese e antítese, a síntese "Blonde on Blonde" (1966) encontra um Dylan entre o blues e o rock, a folk e a pop, remoendo as mulheres e/ou a relação dele com elas.
Bem características deste estado de coisas, encontram-se no disco as mais conhecidas I Want You ou Just Like a Woman, mas também Sad Eyed Lady of The Lowlands ou esta One Of Us Must Know (Sooner or Later).



[* tradução da frase que Bob Johnston proferiu no filme "No Direction Home" (2005), de Martin Scorsese, sobre a proficuidade e qualidade do trabalho de Dylan entre 1962 e 1966. No original: «I believe in giving credit where credit's due. I don't think Dylan had a lot to do with it. I think God instead of touching him on the shoulder he kicked him in the ass. Really. And that's where all that came from. He can't help what he's doing. I mean he's got the Holy Spirit about him. You can look at him and tell that».]
publicado por Olavo Lüpia às 00:54 | link do post | comentar
Terça-feira, 12.02.08

Anyday, now...

I Shall Be Released - Bob Dylan
"Bob Dylan's Greatest Hits, Vol. 2" (1971)

I Shall Be Released - Jeff Buckley
"Live at Sin-é - Legacy Edition" (2003)

Se apreciam contar celebridades, então...


I Shall Be Released, The Band
do filme "Last Waltz", Martin Scorsese (1978)


[Engraçada é também esta versão de Buckley para a rádio, pelo telefone:
I Shall Be Released]
publicado por Olavo Lüpia às 02:10 | link do post | comentar
Quarta-feira, 30.01.08

Em terra de cegos

Contem todos os músicos cegos de que se conseguem lembrar, assim, de repente. Contem os vossos Stevie Wonder, Ray Charles, José Feliciano e outros que se lembrem.
Nada que se possa comparar ao primórdios dos blues no Sul esclavagista...

Dry Bone Shuffle - Blind Blake (1927)
How Can a Poor Stand Such Times - Blind Alfred Reed (1929)
Long Distance Moan - Blind Lemon Jefferson (1929)
God Moves On The Water - Blind Willie Johnson (1929)
Death Room Blues - Blind Willie McTell (1933)
Cross And Evil Women Blues - Blind Gary (1935)
Piccolo Rag - Blind Boy Fuller (1938)


Blind Boy Fuller acabaria por morrer não muito tempo depois:

The Death of Blind Boy Fuller - Brownie McGhee (1941)

Bob Dylan voltou ao bluesman Blind Willie McTell, numa música onde o homenageia, gravada em 1983 mas preterida no alinhamento de "Infidels" desse ano, chegando ao conhecimento público 8 anos depois. A música apresenta Dylan ao piano e Mark Knopfler na guitarra acústica.

Blind Willie McTell - Bob Dylan
"The Bootleg Series Volumes 1-3 (Rare & Unreleased) 1961-1991" (1991)

[Nota: Eu não consigo dizer bem o suficiente do Jazz-on-line. Uma verdadeira discoteca da primeira metade do século passado, com quase 20.000 títulos, entre o jazz (predominante), o blues e o folk - uma maravilha para maluquinhos como eu.]
publicado por Olavo Lüpia às 01:22 | link do post | comentar
Quarta-feira, 16.01.08

From Woody to Dylan*


Já por aqui (algures) foi dito que Bob Dylan é, provavelmente, o compositor mais influente da história da música popular e que a extensão de tal influência ainda não é possível de ser "quantificada".
De Dylan sabe-se que é um ser, por vezes, intratável, que, para além das milhares de ideias musicais e líricas que «deu à luz», se locupletava das de muitos outros poetas e compositores, anteriores ou contemporâneos (amigos e namoradas incluídos).
Se na lírica há a distinguir o nome de Dylan Thomas (ao qual se convencionou ter Robert - Bob - Zimmerman "roubado" o nome), musicalmente Bob Dylan sempre se referiu a Woody Guthrie como sua principal inspiração.
De resto, aquando à sua primeira passagem por New York, Dylan reservou algum do seu tempo para ir visitar Guthrie ao Hospital Psiquiátrico de Greystone, New Jersey - onde Woody acabou os seus dias.
Woody foi, de resto, um dos primeiros (talvez o primeiro?) cantores de intervenção, muito provavelmente devido aos tempos da Grande Depressão que o homem viveu na pele, juntando à "guitarra vermelha" e aos "três acordes" um pouco de "verdade". Claro é também, apesar de se sentir desconfortável com a denominação, que Dylan foi um dos mais importantes (o mais importante?) cantores de intervenção, a «voz da sua geração».
Ora, como se pode manifestar a influência musical de Woody em Bob? Bem, acho que o exemplo abaixo é bastante elucidativo...

Talkin' Dust Bowl Blues - Woody Guthrie
(1940)

Talkin' New York - Bob Dylan
"Bob Dylan" (1962)

* jogo de palavras parvo envolvendo o nome de um monumento de Neil Young.
publicado por Olavo Lüpia às 00:45 | link do post | comentar | feedbacks (2)
Segunda-feira, 22.10.07

Blue Mondays...


Don't Think Twice, It's All Right - Bob Dylan
"The Freewheelin' Bob Dylan" (1963)
publicado por Olavo Lüpia às 00:05 | link do post | comentar | feedbacks (2)
Sexta-feira, 29.06.07

Porque hoje é Sexta...

Rainy Day Women # 12 & 35, Bob Dylan
"Blonde on Blonde" (1966)
publicado por Olavo Lüpia às 04:35 | link do post | comentar | feedbacks (2)
Quinta-feira, 24.05.07

Vídeos do outro mundo

Se a história dos vídeos musicais, enquanto produto comercial de divulgação e de marketing das músicas e bandas, começa no início dos anos 80, quando aparece a MTV, então vamos falar da pré-história dos clips.
Em 1965, Bob Dylan faz uma digressão pela Inglaterra (com Donovan, Bob Neuwirth, entre outros), aquando ao lançamento de "Bringing It All Back Home", editado em Março desse ano. Sobre essa digressão foi feito o documentário "Don't Look Back", de D. A. Pennebaker, que viu a luz do dia em 1967.
O início do documentário é exactamente aquilo que viria a ser um dos clips mais emblemáticos de sempre:

Subterranean Homesick Blues, Bob Dylan
"Bringing It All Back Home" (1965)

O vídeo foi rodado nas traseiras do Hotel Savoy, Londres, e, num plano de fundo (e enquanto Dylan faz o seu "número"), estão Bob Neuwirth e o poeta beat Allen Ginsberg - que também acompanhou a comitiva desta digressão -, encenando uma conversa e separando-se no fim do vídeo.
Outros takes foram feitos desta música, mudando-lhe o cenário de fundo para um parque ou o topo de um prédio, mas que soçobraram perante esta versão.
Porque emblemas, música e, principalmente, clip foram muito copiados e parodiados.
Lembre-se, puramente a título de exemplo, que os Radiohead aproveitam o nome da música para a sua assombrosa Subterranean Homesick Alien ("O.K. Computer", 1997).
Quanto a paródias, há a Bob, de Weird Al Yankovic, onde se apanha, de uma forma bem engraçada, o estilo de letras e maneirismos vocais de Dylan.
publicado por Olavo Lüpia às 01:46 | link do post | comentar
Quinta-feira, 08.03.07

Ela por ele

Mulher da Erva, José Afonso - "Cantigas do Maio" (1971)
Girl From The North Country, Bob Dylan - "The Freewheelin' Bob Dylan" (1963)
A Woman is a Sometime Thing, Louis Armstrong - "Porgy & Bess" (1957)
Mulher Navio Negreiro, Tom Zé - "Estudando o Pagode - Na Opereta Segregamulher e Amor" (2005)
Aqui Dentro de Casa, José Mário Branco - "Margem de Certa Maneira" (1973)
Etelvina, Sérgio Godinho - "À Queima Roupa" (1974)
Eleanor Rigby, The Beatles - "White Album" (1968)
Josiesomething, Zita Swoon - "A Song About A Girls" (2004)
The Thoughts of Mary Jane, Nick Drake - "Five Leaves Left" (1969)
The Woman in You, Ben Harper - "Burn To Shine" (2000)
Mulheres de Atenas, Chico Buarque - "Meus Caros Amigos (1976)
Johnsburg, Illinois, Tom Waits, "Swordfishtrombones" (1983)
Hallelujah, Jeff Buckley - "Grace" (1994)

(botão direito do rato + guardar como)
publicado por Olavo Lüpia às 01:08 | link do post | comentar
Segunda-feira, 29.01.07

Assustadoramente belo

Ballad Of A Thin Man - The Jamie Saft Trio com Mike Patton
"Trouble - The Jamie Saft Trio plays Dylan" (2006)

(letra. Sob o efeito de estupefacientes?!)

[original de Bob Dylan, "Highway 61 Revisited" (1965)]

Obrigado, Daniel!
publicado por Olavo Lüpia às 13:59 | link do post | comentar | feedbacks (3)

pesquisar neste blog

 

subscrever feeds

Rock Stock

Bichos Protegidos da Serra da Malcata

posts recentes

tags

Creative Commons License
Andróide Paranóide by Andróide Paranóide is licensed under a Creative Commons License.