Segunda-feira, 22.03.10

Blue Mondays/Decomposing Composers #18

 

Alex Chilton

(28.12.1950-17.03.2010)

 

The Ballad of El Goodo - Big Star

"#1 Record" (1972)

Kangaroo - Big Star

"Third/Sister Lover" (1978)

publicado por Olavo Lüpia às 13:00 | link do post | comentar
Terça-feira, 22.09.09

Especial Bruce Springsteen #8 - "Darkness On The Edge Of Town"


Depois de "Born To Run", Springsteen gastou o chão dos palcos, tendo também que deglutir a atenção que o disco de 1975 tinha gerado à sua volta. Mas não era apenas isso que impedia Springsteen de voltar aos discos.
Bruce manteve durante dois anos um proceso judicial contra o seu ex-manager, Mike Appel, período no qual o compositor se manteve afastado das sessões de gravação.

Com este reboliço, a música de Springsteen acabou por ficar mais 'escura' e menos optimista. Os personagens "freak" e os românticos, e os "freaks" românticos, dão lugar a personagens mais terrenas; o modo de vida adolescente ou pré-adulto dá lugar a um mais adulto; o escape da noite ao dia de trabalho.
Tudo isso pode ser ouvido em "Darkness On The Edge Of Town": o ajuste de contas com o progenitor, no rock pesado de Adam Raised A Cain; as forças e circunstancialismos que nos dominam, em Racing In The Streets e no fabuloso tema-título; um amor um pouco mais maduro em Prove It All Night e um pouco mais selvagem, no amor por uma prostituta, em Candy's Room; o valor do esforço e do trabalho em Badlands, Factory ou The Promised Land.
Apesar de haver músicas que acabaram por se tornar símbolos da carreira de Springsteen e marcos ao vivo, como Darkness On The Edge Of Town, Racing In The Streets ou Candy's Room, não há 'hits'.
Curiosamente, e com o escopo de manter o disco 'focado', Bruce Springsteen tinha 'oferecido' Because The Night a Patti Smith - co-autora do tema - ou Fire às Pointer Sisters, músicas que acabaria por ter grande visibilidade comercial. Obviamente que Springsteen continuou a tocar esses temas ao vivo.

Há ainda a referir a excelente Streets Of Fire, que acabaria por dar o nome ao conhecido filme de Walter Hill de 1984 - o tal que, musicalmente, acabou por nos dar a conhecer Nowhere Fast. A ideia dos produtores do filme era usar a música de Springsteen na banda sonora. No entanto, quando Springsteen se apercebeu que a ideia era que o tema fosse re-gravado para caber na personagem principal feminina do filme, representada pela belíssima Diane Lane, recuou na permissão de uso dos direitos da canção.

Temos então um disco, um grande disco, introspectivo e intimista como os anteriores nunca foram, de que Something In The Night é talvez o melhor exemplo. Um disco de um Springsteen bem diferente que aquele que conhecíamos até "Born To Run" e que, em grande parte, começa a definir uma parte do Springsteen que temos desde então.

Adam Raised a Cain
Streets Of Fire
publicado por Olavo Lüpia às 01:00 | link do post | comentar | feedbacks (2)
Quarta-feira, 16.09.09

Especial Bruce Springsteen #1 - Growin' Up

Uma das ideias que se tem de Bruce Springsteen, muito querida a qualquer americano - o 'average Joe' -, é a de que ele é "um de nós", um tipo perfeitamente normal, que, se o víssemos e não conhecêssemos, só à 57.ª vez (número caro ao Boss) e com juras ajoelhadas nos convenceríamos detentor de um qualquer talento artístico.
Conhecendo-o, e até às dois, três anos, quando toda a gente voltou a acordar para Springsteen, a ideia era a de um rocker velho, gasto, com músicas de três acordes e algum talento para juntar palavras. As probabilidades de um melómano mais intelectual olhar para Springsteen com admiração, por poca que fosse, eram tão grandes como as do Desportivo das Aves ganhar um campeonato nacional de futebol profissional.
Filho de um motorista de autocarros e de uma bibliotecária, Springsteen nasceu (Long Branch) e cresceu (Freehold) em New Jersey. Adolescência rebelde, relação problemática com um pai austero, que não entendia um tipo de cabelo comprido sempre agarrado a uma guitarra, e com a mania do rock, que queria que ele fosse um advogado (enquanto que a mãe preferia que fosse escritor), que lhe cortou o cabelo na cama de um hospital depois de um acidente de mota, a primeira banda que se conhece de Springsteen são os Castiles, em '65.
Mais tarde, fez parte do 'power trio' Earth, onde ganhou a alcunha que ainda hoje ostenta, The Boss, porque era quem ia receber o cachet e o distribuía pelos outros membros da banda; depois apareceram os Steel Mill, onde conheceu alguns músicos que viriam a fazer parte da E-Street Band, casos do teclista Danny Federici, do baterista Vini 'Mad Dog' Lopez e do 'Soprano' Steve Van Zandt; ainda há o registo de mais umas quantas bandas passageiras, como Dr. Zoom & The Sonic Boom, Sundance Blues Band e The Bruce Springsteen Band (entre '71 e os inícios de '72).
E assim chegamos a 1972, quando Springsteen junta à banda o pianista David L. Sancious e funda a E-Street Band.
Em 3 de Maio e já com o management assegurado por Mike Appel e Jim Cretecos, Springsteen faz uma audição bem sucedida frente a John Hammond (que havia 'descoberto Dylan dez anos antes), nos estúdios da Columbia, em NY, garantindo o seu primeiro contrato discográfico, enquanto continuava a fazer espectáculos, com banda e a solo, pelos bares daquela cidade.
Em baixo fica o registo em vídeo de Growin' Up - uma espécie de caricatura do artista enquanto jovem - desse ano e uma versão ao vivo do mesmo tema, num espectáculo em Cleveland da 'Darkness Tour', de 1978, com os seus característicos monólogos, meio storytelling, meio stand-up comedy, que haviam também de se lhe colar à imagem - para além da duração dos próprios concertos.


Growin' Up, Bruce Springsteen
10.08.1972, no 'Max's Kansas City', NY

Growin' Up - Bruce Springsteen & The E-Street Band
09.08.1978, Agora Theatre, Cleveland.
publicado por Olavo Lüpia às 01:46 | link do post | comentar | feedbacks (1)
Terça-feira, 09.06.09

This Week In God/ A coisa mais bonita que vão ouvir nos próximos 5 minutos


[Livro de curso do Liceu de Idyll, San Diego, 1966]

Tom Waits discorre sobre a Kentucky Avenue, onde cresceu, falando sobre as pessoas que lhe marcaram a infância: da Mrs. Storm, mulher que se sentava na cozinha de casa com a janela aberta e a 'cabeça' de uma caçadeira à espreita, até ao seu melhor amigo de infância (a quem é dirigido o discurso directo da canção), Kipper, que tinha 10 anos, poliomielite e andava numa cadeira de rodas.
A canção, cuja narrativa se passa quando Tom Waits tinha uns 10 anos (há 50 anos atrás, portanto), oferece-nos toda uma construção orquestrada até ao grande final, dramático e comovente.

Kentucky Avenue - Tom Waits
"Blue Valentines" (1978)

«Well, Eddie Grace's Buick got four bullet holes in the side
And Charlie DeLisle is sittin' at the top of an avocado tree
Mrs. Storm will stab you with a steak knife if you step on her lawn
I got a half a pack of Lucky Strikes, man, so come along with me
And let's fill our pockets with macadamia nuts
And go over to Bobby Goodmanson's and jump off the roof

Well, Hilda plays strip poker when her mama's cross the street
Joey Navinski says she put her tongue in his mouth
And Dicky Faulkner's got a switchblade and some gooseneck risers
That eucalyptus is a hunchback, there's a wind down from the south
So let me tie you up with kite string and I'll show you the scabs on my knee
Watch out for the broken glass, put your shoes and socks on
And come along with me

Let's follow that fire truck, I think your house is burnin' down
And go down to the hobo jungle and kill some rattlesnakes with a trowel
And we'll break all the windows in the old Anderson place
And we'll steal a bunch of boysenberries and I'll smear 'em on your face
I'll get a dollar from my mama's purse and buy that scull and crossbones ring
And you can wear it 'round your neck on an old piece of string

Then we'll spit on Ronnie Arnold and flip him the bird
And slash the tires on the school bus, now don't say a word
I'll take a rusty nail and scratch your initials in my arm
And I'll show you how to sneak up on the roof of the drugstore
I'll take the spokes from your wheelchair and a magpie's wings
And I'll tie 'em to your shoulders and your feet
I'll steal a hacksaw from my dad and cut the braces off your legs
And we'll bury them tonight out in the cornfield
Just put a church key in your pocket, we'll hop that freight train in the hall
We'll slide all the way down the drain to New Orleans in the fall»

[Para uma descodificação completa da letra, vão aqui]
publicado por Olavo Lüpia às 02:21 | link do post | comentar
Sexta-feira, 03.04.09

Porque hoje é Sexta...


Apesar de Você - Chico Buarque
"Chico Buarque" (1978)

(contexto)
publicado por Olavo Lüpia às 07:00 | link do post | comentar
Sexta-feira, 06.03.09

Porque hoje é Sexta...


Rosalita (Come Out Tonight), Bruce Springsteen & The E-Street Band
['Darkness Tour', 08.07.1978, Arizona Veterans Memorial Coliseum, Phoenix, Arizona]
publicado por Olavo Lüpia às 07:00 | link do post | comentar | feedbacks (2)
Terça-feira, 17.02.09

Assustadoramente belo


Sem Fantasia, Chico Buarque e Caetano Veloso*
(1978)


Ver ainda: este post do blog de Aldina Duarte.

_____________________________________
* Creio, sem grande certeza, que estas imagens acabaram por integrar o DVD "À Flor da Pele" (2005), dedicado por inteiro à temática da mulher na obra de Chico Buarque.
publicado por Olavo Lüpia às 00:21 | link do post | comentar
Sexta-feira, 14.11.08

Porque hoje é Sexta...


Blitzkrieg Bop
Now I Wanna Sniff Some Glue
53rd & 3rd (*)
"The Ramones" (1976)

Gimme Gimme Shock Treatment
"Leave Home" (1977)

Sheena Is A Punk Rocker
"Rocket to Russia" (1977)

I Wanna Be Sedated
"Road To Ruin" (1978)
publicado por Olavo Lüpia às 07:00 | link do post | comentar | feedbacks (3)
Terça-feira, 12.02.08

Anyday, now...

I Shall Be Released - Bob Dylan
"Bob Dylan's Greatest Hits, Vol. 2" (1971)

I Shall Be Released - Jeff Buckley
"Live at Sin-é - Legacy Edition" (2003)

Se apreciam contar celebridades, então...


I Shall Be Released, The Band
do filme "Last Waltz", Martin Scorsese (1978)


[Engraçada é também esta versão de Buckley para a rádio, pelo telefone:
I Shall Be Released]
publicado por Olavo Lüpia às 02:10 | link do post | comentar
Sexta-feira, 21.12.07

Assustadoramente belo

Provavelmente, a coisa mais bonita que vão ver hoje - ou, pelo menos, nos próximos 5 minutos...


Christmas Card From A Hooker In Minneapolis*, Tom Waits
original de "Blue Valentines" (1978)


(*ao vivo, com Silent Night a começar e a acabar e Goin' Out Of My Head, de Little Anthony & The Imperials, lá pelo meio)
publicado por Olavo Lüpia às 01:57 | link do post | comentar | feedbacks (1)
Segunda-feira, 18.12.06

Blue Mondays (Edição de Natal)

- Vídeo:

- Audio (original):

Christmas Card From A Hooker in Minneapolis, Tom Waits
"Blue Valentines" (1978)
(letra)
publicado por Olavo Lüpia às 00:03 | link do post | comentar

pesquisar neste blog

 

subscrever feeds

Rock Stock

Bichos Protegidos da Serra da Malcata

posts recentes

tags

Creative Commons License
Andróide Paranóide by Andróide Paranóide is licensed under a Creative Commons License.