Quarta-feira, 11.02.09

Da inspiração - O 2.º concerto para piano de Sergey Rachmaninov


Concerto para Piano N.º 2 em Dó menor, Op. 18
1.º Andamento - Moderato; 2.º Andamento - Adagio Sostenuto; 3.º Andamento - Allegro Scherzando.
Interpretação de Alexis Weissenberg (piano), Herbert von Karajan (maestro) e a Orquestra Filarmónica de Berlim.

O 2.º Concerto para piano de Rachmaninov, composto entre 1900 e 1901, foi, desde logo, importante para o próprio compositor, depois de a crítica ter sido demolidora para com a sua primeira Sinfonia, em 1897. Como resultado, o homem padeceu de uma depressão que durou vários anos e um bloqueio criativo. A ferida sarou com este seu segundo concerto para piano que, por isto mesmo, foi dedicada ao seu médico, Nikolai Dahl.
Resta também a curiosidade de ter influenciado alguns nomes da música actual. De uma forma bem clara, refira-se o vocalista dos Muse, Matthew Bellamy, que chega a ter citações do primeiro andamento em músicas como Space Dementia ou Butterflies and Hurricanes (note-se a influência da peça no solo de piano da música).

Space Dementia, "Origin of Symmetry" (2001)
Butterflies and Hurricanes, "Absolution" (2003)

Frank Sinatra usa "a" voz em Full Moon and Empty Arms (1945), composta com base no terceiro andamento, enquanto que o primeiro andamento deste Concerto de Rachaminov baseou a composição de I Think Of You (1957).

No entanto, neste aspecto, o belíssimo segundo andamento não tem que ficar triste. O exemplo mais claro do uso desta obra vem mesmo deste andamento. O seu tema foi usado para fundar as estrofes do hiper-meloso All By Myself.


All By Myself, Eric Carmen (1976)

Mas não se pense que este segundo andamento foi apenas usado "para o mal". A progressão de acordes do referido tema serviu também David Bowie na composição de uma das mais brilhantes músicas rock de sempre...

Life On Mars? - David Bowie
"Hunky Dory" (1971)
publicado por Olavo Lüpia às 00:45 | link do post | comentar
Terça-feira, 14.08.07

Céguinho!

«And now... for something completely different: a man with a tape recorder up his brother's nose!»...
Não. É só mesmo o José Feliciano, circa 1966, a interpretar um excerto de O Vôo do Moscardo (ou Flight of The Bumblebee) da Ópera "A Lenda do Czar Saltan" (acabada de compor e tocada pela primeira vez em 1900), de Nikolai Rimsky-Korsakov.


publicado por Olavo Lüpia às 15:12 | link do post | comentar

pesquisar neste blog

 

subscrever feeds

Rock Stock

Bichos Protegidos da Serra da Malcata

posts recentes

tags

Creative Commons License
Andróide Paranóide by Andróide Paranóide is licensed under a Creative Commons License.