Assustadoramente belo

Em 2001, os Sigur Rós juntaram-se com um amigo chamado Steindór Andersen, que, ao que parece, é pescador e Presidente da Sociedade de Poesia da Islândia, chamada iðunn. Para além disso, o homem canta numa forma de poesia épica, que descende dos vikings - o Rimúr. E é esse o nome do EP que foi gravado em parceria com os Rós.

Não sei se o que o homem canta é assim muito triste, mas se ouvirem a música vão convir que ele não deve estar a trautear:
"Ai que bela é a minha vida/ Com alcoól e mulheres a rodos/ E acabei de ganhar a lotaria/ Ai, meu Deus, que alegria tão grande"...

Ainda sobre os Rimúr, o site dos Sigur Rós diz o seguinte:
"rímur are narrative poems which generally tell stories of icelandic heroes and epic battles which have been passed down generations in iceland through word-of-mouth since the 14th century. rímur were regarded as a performance art; a good rímur chanter would engage his listeners with his clever rhyming schemes and catchy melodies. rímur were performed on winter nights when inhabitants sat occupied by their work (making clothing from wool, wreathing horsehairs into ropes, cutting tools from wood, etc.) for seven centuries, this was icelanders' only branch of entertainment and it's only recently that this tradition has dissolved".

Hugann seiða svalli frá - Sigur Rós & Steindór Andersen
"Rimúr EP" (2001)
publicado por Olavo Lüpia às 02:13 | link do post | comentar