Springsteen Vs Tortoise + Bonnie 'Prince' Billy

Quando se chega a uma idade em que o onanismo deixa de ser um guilty pleasure, passamos a ser pessoas menos complexadas!...
Confusos?
Ok.
Durante muitos anos, era assim que (ou)via Bruce Springsteen (não onanismo, mas guilty pleasure, obviamente!).
Quando era adolescente, muita gente gozava comigo.
Tinham razões para isso? Tinham.
Gozavam pelas razões óbvias? Não.
Gozavam comigo porque eu gostava de Bruce Springsteen. Durante muitos anos reprimi o facto, de maneira a que não fosse humilhado, apontado na rua, ridicularizado...
Até que "saí do armário"! E não venha aqui ninguém dizer que, por exemplo, os primeiros três discos do homem - Greetings from Asbury Park ('73), The Wild, The Innocent & The E-Street Schuffle ('73) e Born To Run ('75) - são maus ou assim-assim, que eu "RASGO-O" TODO!!!
Ora, o Born To Run é um dos melhores discos de Rock de sempre: ainda é um 'gand'a maluco', considerando que faz 31 "lindas primveras" em Novembro. Pode-se mesmo dizer: it'll be 31 years young!
A começar, tem esta belíssima (e histórica) Thunder Road. Música e palavras (con)fluem na formulação de «um convite», nas palavras do próprio Boss. Um musicão com uma paleta de cores impressionante. Romantismo. Mas do bom, hã! Não há lamechices nem paneleirices.
Em 2006, os Tortoise juntam a sua visão musical à voz quente e bonita de Will Oldham, a.k.a. Bonnie 'Prince' Billy, num grande disco de versões, chamado The Brave and The Bold. De um Milton Nascimento ("Cravo e Canela") até um Elton John ("Daniel"), de tudo pode ser encontrado.
Neste Born To Run de 2006 decidiu-se manter (quase) intacta a estrutura do original de '75. As cores é que mudam! Diga-se, por isso, que se trata uma versão "futurista" e "daltónica" - veja-se, por exemplo, a parte instrumental final.
Uma versão absolutamente soberba.

Thunder Road - Bruce Springsteen
Thunder Road - Tortoise + Bonnie 'Prince' Billy

A letra, que merece bem a pena, está aqui.

publicado por Olavo Lüpia às 01:37 | link do post | comentar