Excuse me while I kiss the sky...

Faz hoje 37 anos que Jimi Hendrix foi encontrado pela sua namorada de então, sufocado no seu próprio vómito, após se ter deitado aconchegado por nove comprimidos para dormir.
Enquanto este vivo, Hendrix revolucionou a guitarra, sendo, ontem, hoje e sempre, referência maior para todos os praticantes do popular instrumento.
Do wah-wah às dive-bombs, a técnica irrepreensível e uma imaginação sem par fizeram dele um mito. Dele é referido também o carácter afável.
Um dos seus espectáculos mais celebrado foi o concerto em Woodstock. Previsto para a meia-noite, por atrasos e dificuldades técnicas, o concerto só começou já na manhã do dia 18 de Agosto de 1969, quando cerca de metade da assistência já havia abandonado o local de Bethel, NY.
É um tour de force de Jimi Hendrix, com a banda que o próprio denominou de The Gipsy Suns and Rainbows, com os "experimentados" Mitch Mitchell na bateria e Billy Cox no baixo, aos quais se juntaram Larry Lee na guitarra e Jerry Velez e Juma Sultan na percussão (este último, clara e amplamente drógádo, o que contrastava - e muito - com o registo apenas "bastante pedrado" dos restantes).

Tocar guitarra com os dentes, dive-bombs, solos com distorção fuzz e wah-wah e todos estes combinados com uma versão ácida e imortal da Star Sprangled Banner são apenas alguns dos ingredientes que constam do registo vídeo do concerto.

publicado por Olavo Lüpia às 12:44 | link do post | comentar