Sob o efeito de hipnóticos


O Beck é um tipo engenhoso. Pegar em três das características mais notórias do som disco (os contratempos da bateria, o baixo 'pululante' e os arranjos quase-barrocos das cordas), colocá-las num 'anti-natural' regime downtempo e fazer com que as peças do puzzle se unam na perfeição, é de génio.


Paper Tiger, Beck
"Sea Change" (2002)
publicado por Olavo Lüpia às 01:00 | link do post | comentar